Mitos e Verdades Sobre a Fertilidade

Selecionamos os questionamentos mais frequentes em relação ao que afeta – ou não – a fertilidade do homem e da mulher. ​Quem tem útero retrovertido tem mesmo mais dificuldade de engravidar?​ ​Abortos naturais diminuem a chance de gravidez? A mulher tem mais problemas que o homem para engravidar? Diabetes afeta a fertilidade? Veja o que é MITO e o que é VERDADE.​

Quem tem útero retrovertido tem mesmo mais dificuldade de engravidar?
MITO – O fato de o útero estar voltado para trás – e não para a frente – não significa necessariamente problema para engravidar. É que o colo do útero está no mesmo lugar, e isso é suficiente para permitir a passagem dos espermatozoides. Em alguns casos, essa posição pode, no máximo, atrapalhar um pouco essa passagem.

Abortos naturais diminuem a chance de gravidez?
MITO – A interrupção da gravidez por si só não atrapalha novas gestações, principalmente se ocorrer naturalmente.

Abortos provocados podem interferir na fertilidade?
VERDADE – O aborto provocado por aspiração e curetagem mal feitas pode, sim, provocar obstruções das trompas ou gerar aderências decorrentes de processos inflamatórios. Ambas atrapalham a fertilidade.

Quem fez curetagem não pode mais engravidar?
MITO – A curetagem (cirurgia que remove sobras de endométrio após uma gravidez interrompida) só causa infertilidade se foi mal feita e provocou danos em estruturas como trompas ou ovários. Normalmente, ela não causa infertilidade.

Quem menstrua muito cedo ou muito tarde tem dificuldade de engravidar?
MITO – Não há relação entre a idade da primeira menstruação com a fertilidade da mulher. Mulheres que menstruaram muito cedo terão, no entanto, o fim da vida útil de seus ovários mais cedo também.

Quem teve caxumba pode ter ficado estéril?
VERDADE – A caxumba pode prejudicar a produção dos espermatozoides, mesmo que o paciente tenha ficado de repouso absoluto.

Mulheres com ovários policísticos não podem engravidar?
MITO – A síndrome dos ovários policísticos (SOP) pode causar falta de ovulação e, consequentemente, infertilidade. Mas isso não é regra. Há mulheres que, mesmo com a doença, engravidam naturalmente. Nesse caso, devem redobrar os cuidados no pré-natal.

Dá para engravidar apenas com um ovário e uma trompa?
VERDADE – Sim, desde que o ovário produza óvulos normalmente e que a trompa não esteja obstruída a ponto de impedir a fecundação.

O fumo prejudica a fertilidade?
VERDADE – Tanto o fumo quanto o álcool e outras drogas prejudicam a fertilidade de homens e mulheres. Nos homens, produzem espermatozoides com dificuldade de locomoção e com morfologia alterada. Nas mulheres, a qualidade dos óvulos também diminui com as drogas.

Mulheres que se exercitam demais ficam estéreis?
VERDADE – O excesso de exercícios físicos diminui a quantidade de gordura no organismo, o que altera a produção hormonal. Além disso, como forma de defesa natural do organismo que já está carente de nutrientes para sua própria sobrevivência, a ovulação pode ser interrompida.

A obesidade atrapalha a fertilidade?
VERDADE – Nos homens, a obesidade altera o metabolismo e interfere diretamente na mobilidade e na forma dos espermatozoides que têm sua capacidade de fecundação diminuída. Nas mulheres, causa disfunções hormonais importantes que prejudicam o ciclo menstrual e a ovulação.

O estresse afeta a fertilidade?
VERDADE – Apesar de não existir uma comprovação científica, os médicos afirmam que os hormônios – e, portanto, o ciclo menstrual da mulher – podem sofrer variações importantes em situações difíceis ou de muita pressão. No caso dos homens, o estresse também pode ser prejudicial para a produção dos espermatozoides.

Laptop no colo deixa o homem estéril?
INCONCLUSIVO – Apesar de não haver comprovação científica que ligue uma coisa a outra, muitos médicos recomendam que os homens evitem usar laptops no colo. A alta temperatura na região próxima aos testículos prejudicaria a produção de espermatozoides.

Metais pesados impactam na fertilidade?
VERDADE – Metais como cobre, cádmio, arsênio, ouro, chumbo, níquel e mercúrio, entre outros, afetam, sim, a fertilidade. São substâncias tóxicas ao corpo que causam má formação nas células reprodutivas e atrapalham sua produção.

Chás naturais ajudam a engravidar?
MITO – Algumas ervas deixam as pessoas mais tranquilas e isso pode diminuir a ansiedade de quem está enfrentando um tratamento de infertilidade. Os efeitos dos chás naturais param por aí. Não há comprovação científica alguma de que a ingestão de chás ajude a engravidar.

Alimentos afrodisíacos como ovo de codorna e amendoim aumentam a fertilidade?
MITO – Esses alimentos podem até aumentar o desejo e favorecer a libido, mas não alteram em nada a capacidade de engravidar de um casal.

Quimioterapia e radioterapia geram infertilidade?
VERDADE – Na maioria das vezes, as células reprodutivas sofrem alterações genéticas importantes com o uso dessas terapias de cura do câncer. Para evitá-las, é importante retirar e congelar os gametas (crioterapia).

Sêmen congelado tem prazo de validade?
MITO – A técnica de crioterapia congela espermatozoides a menos 196 ºC por tempo indeterminado. Bastante conhecida e largamente utilizada em todo o mundo, ela preserva as células que, ao serem descongeladas, têm ótimas chances de fecundarem um óvulo.

Quem tem – ou teve – doença sexualmente transmissível (DST) pode ser infértil?
VERDADE – Doenças sexualmente transmissíveis, como clamídia ou gonorreia, respondem por 15% das causas de infertilidade nas mulheres e 10% nos homens. Elas alteram a produção dos espermatozoides e provocam inflamações nos órgãos do aparelho reprodutor feminino. Essas inflamações tendem a se transformar em aderências prejudiciais às trompas, ao útero e aos ovários.

A mulher tem mais problema que o homem para engravidar?
MITO – A mulher responde por 30% das causas de infertilidade. Os homens são responsáveis por outros 30%. Em 20% dos casos, as causas são conjuntas e, no restante, há a chamada “infertilidade sem causa aparente”, em que não é possível estabelecer um diagnóstico.

O diabetes afeta a fertilidade?
VERDADE – Tanto o diabetes tipo 1 quanto o tipo 2 causam transtornos hormonais que afetam a fertilidade feminina. Nos homens, a doença gera espermatozoides com material genético defeituoso, prejudicando a fecundação do óvulo. É importante manter o diabetes controlado para não comprometer a fertilidade.

A alimentação interfere na fertilidade?
VERDADE – Alimentos gordurosos, muito carboidrato e pouca ou nenhuma vitamina desequilibram os hormônios e prejudicam, sim, a fertilidade. Alimentos de alto índice glicêmico, como arroz branco e batata, também precisam ser evitados, pois podem atrapalhar a fecundação. Uma alimentação saudável é, portanto, essencial para que a mulher tenha condições de engravidar.

Alguns alimentos podem ajudar a fecundação?
VERDADE – Segundo pesquisadores de Harvard, alimentos com baixo índice glicêmico – como ameixa, atum light, aveia em flocos, batata-doce, crustáceos, iogurte desnatado e feijão fradinho, entre outros – podem ajudar a fecundação.

As vegetarianas têm mesmo mais dificuldade para engravidar?
DEPENDE – Se a dieta for balanceada para evitar a falta de nutrientes, não há com o que se preocupar. É necessário, no entanto, garantir a ingestão de quantidades ideais de proteínas, fibras, minerais e vegetais, além de carboidratos e gorduras. Manter o bom funcionamento dos hormônios é essencial para que haja a gravidez.

Post criado 5

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo